Bird Box | Filme da Netflix faz refletir sobre o suicídio. Veja! - Blogando Cultura Bird Box | Filme da Netflix faz refletir sobre o suicídio. Veja! | Blogando Cultura
54 comentários

Bird Box | Filme da Netflix faz refletir sobre o suicídio. Veja!

24.12.18
bird-box-filme-netflix-critica
Foto: Netflix
Filme Netflix com Sandra Bullock estreou na última sexta-feira (21) e alterna entre catástrofe e reflexão, cumprindo seu objetivo.


Diariamente, o catálogo da NETFLIX só aumenta em produções originais, seja em filmes ou séries. Algumas destas produções são adaptadas de livros e têm um resultado tão bom quanto a obra original (ou não). Manter a qualidade narrativa é uma queixa comum de espectadores e críticos. Acredito eu que “Bird Box” não é uma delas e cumpre seu papel em relação ao livro, mas, claro, com algumas modificações.

Bird Box estreou na plataforma na última sexta-feira (21) e traz uma história baseada no livro de mesmo nome, do autor Josh Malerman.

Em um mundo pós-apocalíptico, Malorie (Sandra Bullock) e seus filhos precisam chegar em um refúgio para escapar de uma ameaça que está destruindo o mundo. Criaturas que ao serem vistas, fazem com que as pessoas se tornem extremamente violentas, a ponto de tirarem a própria vida. De olhos vendados para não serem afetados, a família segue o curso de um rio para chegar em segurança.

O filme começa com uma cena que se passa CINCO anos após o início de tal ameaça. Malorie, junto dos filhos, todos vendados em uma canoa, percorre um rio, assim como já falado na sinopse. Em seguida, o filme volta CINCO anos para contar como tudo começou.

Ah! É bom prestar muita atenção, pois o filme trabalha com essa alternância de tempo: pós-acontecimento e pré-acontecimento.

O passado, obviamente, é um dos piores momentos do filme. Malorie vê de perto a morte de sua irmã e é ajudada por um grupo que se abriga em uma casa. A partir de então, a trama do longa começa a ter vida, seguindo fórmulas de filmes de terror/suspense que já conhecemos, como por exemplo: Madrugada dos Mortos, TWD, dentre outros. Portas e janelas são cobertas de jornais, já que uma força maligna está do lado de fora, fazendo com que qualquer pessoa que a veja, seja levada a insanidade, homicídio ou suicídio.

Dentro da casa, cada pessoa tem uma característica própria e uma forma de interpretar o que está acontecendo. Arma biológica? Vírus transmitido pelo ar? Vacinas? Esses são alguns dos questionamentos sobre o que poderia estar acontecendo.

Conflitos entre os moradores são inevitáveis, a falta de alimentos também, sem falar no estresse, já que cada um tem um modo de pensar.



Bird Box tem duração de 2h04min e toda a história é muito bem distribuída neste tempo, sem enrolação. O objetivo principal fica claro logo no início do filme e tudo o que ele propõe é resolvido até o final. Ou seja, tem começo, meio e fim, mas isso não descarta uma continuação. O filme é capaz de criar expectativas em quem está assistindo, além de sensações de acordo com o que cada personagem está passando. Medo, terror, tensão, dentre outras.

O longa tem um roteiro incrível e isso fez toda a diferença para ele se destacar dentre outros com a mesma temática, como por exemplo, “Um lugar silencioso”, filme onde os personagens não podem falar, diferente de Bird Box, que eles não podem ver.

O filme é muito bem construído, com uma ótima fotografia, cenas e sequências que nos deixam "boquiaberto" e tiram o fôlego, fazendo você viver junto ao personagem.

bird-box-filme-netflix-critica
Foto: @netflix

Beleza! Mas o que era a tal ameaça? Porque quem o via cometia homicídio ou até mesmo o suicídio? Onde o filme quis chegar?

Bird Box – A Explicação


Antes de tudo, quero dizer que é uma teoria observada por mim e alguns amigos após a discussão sobre o filme. Portanto, se não concordar com o que for dito aqui ou tiver uma teoria diferente, só deixar nos comentários. Ah! Haverá spoiler a partir daqui, tá? Estejam cientes, pls!

A primeira coisa que é questionada após o término do filme é: o que é a tal ameaça? O que está acontecendo?

Bom, a principal crítica social do filme é a onda de suicídios, que pode estar ligada a um princípio de depressão. Se observarmos bem, alguns dos personagens estão vulneráveis, como por exemplo, Malorie, que não queria ter/ficar com o filho e ainda estava tendo um conflito com o pai da criança. Outro personagem tem um comportamento mais agressivo e vê a esposa morrendo queimada. Outra, provavelmente perdeu a mãe, pois viu ela a chamando para dentro do carro que estava em chamas.

É essa a questão!

A criatura na qual ninguém sabe o que é pode variar de pessoa para pessoa. Ou seja, o que as induz a cometerem tal ato pode ser o que ela mais gosta, mais teme, o que a deixa insegura, dentre outros motivos que são discutidos nos dias de hoje para quem sofre com a doença.

Cada um tem seus motivos para cometer algo, principalmente quando se trata da depressão. Ao invés de ajudar, a sociedade prefere julgar sem ao menos saber o que a outra está passando ou vivendo para chegar ao ponto que os personagens chegam.



No final de Bird Box, quando Malorie e seus filhos enfim conseguem chegar ao abrigo, o filme quer mostrar que sempre há uma luz no fim do túnel e que, ao invés de induzir ao suicídio, assim como várias pessoas estão comentando nas redes sociais, ele quer incentivar você a lutar, a vencer, a se manter vivo. Malorie faz isso nitidamente com as crianças, quando não as deixa tirar a venda em campo aberto.

Ela não desistiu, focou no objetivo que era manter a família a salvo, foi ajudada pelo Rick, sobreviveu e manteve os filhos vivos.

Por fim, o filme é mais um meio de mostrar que há sim uma forma de tratar a depressão, das coisas serem diferentes (para melhor, claro) e de que você só precisa procurar uma ajuda. No final sempre da certo.

E aí, assistiu o filme? Gostou? Concorda com o que foi dito aqui no post? Sim? Não? Então vamos debater nos comentários! Vou adorar saber a sua opinião.

Ah! Clique AQUI e me siga no instagram ;) Se preferir, só procurar lá @blogandocultura

Com CULTURA, Ruan Morais!

Continue Lendo

54 comentários:

  1. Adorei a sua visão do filme e o post em si, descreveu muito bem. A primeira vista eu não tive nenhuma reação ao filme, só depois de parar e pensar um pouco consegui assimilar algo parecido, mas ainda assim (não li o livro), acredito que no livro pode ter se desenrolado melhor a história, de forma tão boa pra virar filme.

    Jessicalorena.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Fico feliz por ter gostado ;) Bom, eu custei a entender também, acredita? Depois de assistir o filme por DUAS vezes, consegui entender sobre o que falava. Também não li o livro, apenas a resenha dele e, por lá, deu para perceber que houveram poucas modificações, principalmente nos personagens e na importância de cada um haha.

      Excluir
    2. (Completando...) Somente cego e louco n enxerga isso.

      Excluir
    3. E os pássaros? O que significa?

      Excluir
    4. Dentro desta teoria, ainda não descobri qual é o propósito dos pássaros, além de alertar que a tal ameaça estava por perto. Estou pesquisando justamente sobre isso, mas nada ainda :(

      Excluir
    5. Acrwsito que os passaros simbolizem a esperança nas pessoas depressivas, Simbolizam as pessoaa quw conseguem sentir que algo não está bem e pode fazer algo para ajudar.

      Excluir
    6. Acho que os passaros significam a intuição das pessoas. Algo que alerta elas em um momento que as vezes nada faz sentido, que nada está claro

      Excluir
    7. Acredito que dos animais da natureza o que poderia ser mais manso para os seres humanos e que poderia alerta com sons seria os pássaros creio que outro animal não caberia a essa missão e o fato de ter animais não afetados faz sentido porque os seres humanos que destroem a natureza e não a própria natureza se destroem. Acho legal que em paralelo se observarmos um outro seriado TWD os pássaros não se contaminam com o vírus do infectados mesmo comendo da carne dos infectados, sem contar a comunidade do Rick que os convida e faz as perguntas básicas rs.

      Excluir
  2. Então, ficou meio superficial essa tua teoria.... Reparei que no inicio do filme as irmãs discutem sobre a Malorie não sair de casa e não ter muito contato com o mundo exterior... Até mesmo com sua mãe.... Quando elas chegam no hospital e bem destacada a cena da sua irmã e outras pessoas usando os celulares.... Outra ponto também por que só os loucos podiam andar sem as vendas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, vamos lá: a primeira cena citada "Malorie não sair de casa..." é típica de uma pessoa que está com um problema familiar ou algo do tipo, não? E o que isso pode causar? Depressão! A cena das pessoas usando o celular, realmente houve um foco ali, mas nada explica, embora um completa a frase do outro (irmã de Malorie / Médico e Paciente). Quanto só os loucos poderem ficar sem as vendas, é que para eles o caos é lindo! O coração já está perturbado, o sofrimento e a maldade são coisas agradáveis e familiares demais para eles. Já abraçaram seus medos, suas dores, tudo. Então, como tudo para eles é normal, querem fazer os outros verem também. Entendeu?

      Excluir
  3. Gistei do filme, mas fiquei sem entender o lq algumas pessoas “podem ficar sem vendas” e não se suicidam? Tipo, o cara na hora do Parto, os caras que invadir
    am a casa dela..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Tudo bem? Vamos lá: as pessoas que estavam sem venda são loucas. Isso mesmo! Para eles, o caos é lindo. O coração já está perturbado, o sofrimento e a maldade são coisas agradáveis e familiares demais para eles. Já abraçaram seus medos, suas dores, tudo. Então, como tudo para eles é normal, querem fazer os outros verem também. Entendeu? Quanto a hora do parto, o problema todo acontece em campo aberto, ou seja, dentro de casa não há perigo, exceto quando os loucos entraram e abriram as janelas e tals.

      Excluir
    2. Amiga, creio que essas pessoas seriam àquelas que incentivam outras pessoas a cometerem o suicídio e são elas denominadas como "loucas"...
      Pois em cenas reais de suicídio podemos ver muitos vídeos que são gravados por esses "loucos" dizendo: se mata logo; se realmente quisesse já teria feito; se acha que seus problemas irão acabar vá em frente!

      Eu vejo dessa forma...

      Excluir
    3. Amiga, creio que essas pessoas são aquelas que incentivam outras pessoas a cometerem o suicídio e são elas denominadas "loucas"...
      Infelizmente quando se trata de suicídio podemos ver muitos encorajando as pessoas depressivas a cometerem esse ato dizendo: se mata logo; se quisesse mesmo já teria se matado; se acha que vai resolver seus problemas vá em frente...
      Eu vejo dessa forma os tais "loucos".

      Excluir
    4. Isso mesmo! Podem ser representados dessa forma também! Arrasou ;)

      Excluir
    5. Entendi e concordo com sua leitura do filme. Entretanto discordo de quando você diz que as pessoas loucas acham que "o sofrimento e a maldade são coisas agradáveis". Não! Mas, sim, eles já estão acostumados, familiarizados com seus medos e suas dores. Já estão tão calejados a viver "sobrevivendo" e lutando, que esse "mal" já não lhe acomete.

      Excluir
  4. Achei o maximo essa sua visao da depressão! Ja tinha achado o filme bom, agora ele se tornou muito mais interessante! Parabéns!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito interessante, né? Sem falar que é necessário demais! Sempre há uma luz, sempre há uma salvação! Ameei!

      Excluir
  5. Bacana a sua crítica.
    Já ao meu ponto de vista, a moral da história é que a maldade está nos olhos de quem vê. ��

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, na verdade, são várias as teorias, né? Alguns falam da maternidade, outros do apocalipse e agora o seu ponto também faz algum sentindo. Pode ser também!

      Excluir
  6. Amei o filme,sua teoria dos fatos ,dá pra se ter mais clareza , agora vou ler o livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jana! Fico feliz que tenha gostado, viu? Já segue o insta do blog? Lá eu tô postando conteúdo extra sobre o filme. Se quiser saber mais, só procurar por @blogandocultura ;)

      Excluir
    2. E os pássaros, o que significa?

      Excluir
    3. Dentro desta teoria, ainda não descobri qual é o propósito dos pássaros, além de alertar que a tal ameaça estava por perto. Estou pesquisando justamente sobre isso, mas nada ainda :(

      Excluir
  7. As crianças também tinham de usar venda porque ? Visto que provavelmente eram inocentes e sem depressão ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, eles não usam vendas porque estão com depressão e sim para se protegerem do mal que está associado a depressão, entendeu? No caso das crianças, foi a forma que a mãe achou de protegê-las, porque até então, nem eles mesmos sabem o que é...

      Excluir
    2. Sim , agora já percebi, obrigada 😊😊😊

      Excluir
    3. Que bom ;) Se puder, nos siga lá no instagram @blogandocultura. Tem conteúdo exclusivo do filme e outras curiosidades.

      Excluir
  8. Doença maldita. Quantas e quantas vezes eu não quis me suicidar.... assisti o filme antes de ler essa crítica, e ler me faz ter vontade de chorar muito. Os antidepressivos tentam combater esse sentimento dentro de mim, mas a tristeza tem uma força fantástica . É bem daquele jeito que o filme retrata, a doença grita pra gente desistir e se entregar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Queria muito saber seu nome, conversar contigo diretamente, dizer pessoalmente tudo o que vou lhe falar aqui: você não está sozinho, a culpa não é sua e eu estou aqui, pronto para te ajudar. Não deixe a tristeza tomar conta de você. Não sei sua religião, se acredita ou não em Deus, mas saiba que o dom da vida é maravilhoso, que Deus em sua infinita bondade entregou o filho dele por você, por mim, por todos nós. Jamais desista, sempre persista. Persista em dar a volta por cima, persista em ficar perto de quem você gosta, de quem te faz bem. Se quiser conversar, só mandar seu contato pelo direct do instagram do blog: @blogandocultura ou pelo formulário de contato que está logo acima, no menu. Conte comigo! Eu estou contigo ;)

      Excluir
  9. Oi, acabei de assistir o filme. Antes de assistir minha irmã já tinha me contado sobre o filme ter algo sobre depressão então assisti o filme com base nessa teoria e ADOREI. O final realmente nós mostra aquela luz no fim do túnel, lembrando que por mais difícil e inseguro seja o caminho devemos enfrenta-lo e acreditar naqueles que querem nos ajudar, mantendo sempre a fé que nada será impossível!
    Eu tinha ficado com algumas duvidas dos loucos mas que já foram sanadas com teu post, simplesmente adorei a analogia de vocês, muito obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Bruna! Como vai? Bom, primeiramente quero agradecer por sua visita e por ter gostado do post. Fico muito feliz! Realmente ele nos mostra que há uma salvação, né? Há uma luz no fim do túnel, onde tudo pode ser diferente com a ajuda de pessoas que estão ao nosso redor. Sempre há um caminho, sempre! Obrigado, mais uma vez! Se puder, siga nosso instagram @blogandocultura. Lá postamos conteúdos exclusivos ;) Beeijos <3

      Excluir
  10. O filme tbm mostra que vale a pena lutar pra sobreviver, quando se tem filhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Embora não seja a proposta principal, vale ressaltar essa importância também ;)

      Excluir
  11. Oi, tudo bem? Vou deixar minha opinião.
    Não acho que o filme tenha a ver com depressão.
    Percebo que as pessoas acham que somente quem tem depressão comete suicídio. Então toda a população tinha a doença e só precisava do 'gatilho'pra cometer o suicídio? Quanto aos loucos e os cegos, eles têm menos tendência à doença?
    Acredito que o filme tenha mais um viés de apocalipse, fim do mundo. Alguma 'força' leva as pessoas a surtarem, matar alguém ou se matarem. Isso acontece em massa e somente aqueles que se protegem (não veem) estão salvas. Tanto que no fim do filme as pessoas se abrigam em um instituto de cegos..
    Bem,é minha opinião hehehe
    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha! Uma nova teoria? Gosto disso ;) Bom, a teoria do post surgiu tendo em vista o que cada um dos personagens principais, se é que podemos chamá-los assim, está passando na vida, sabe? Daí surgiu ela. A sua hipótese é muito boa e faz todo o sentido também. Pode ser isso também e se encaixa totalmente no filme. Na verdade, acredito que cada um vai levantar uma teoria, sabe? O filme pode ter essa discussão, sobre cada um ver de um jeito. O que acha?

      Excluir
  12. Boa noite! Gostei da sua interpretação e concordo plenamente com ela.

    Já na minha opinião, vi mais pelo lado motivacional, ou seja, mesmo quando estamos sem rumo e acontece alguma coisa de ruim poderemos voltar e traçar um novo alvo, objetivo... Só então saberemos qual "voz" seguir, no caso do filme, era o som dos pássaros.
    A Melorie tinha total controle sobre o que era real e o que vinha de sua imaginação. Ela seguiu o som correto, ela não deixou os obstáculos atrapalharem onde ela queria chegar e conseguiu encontrar o fundo túnel, o que ia lhe fazer feliz.

    Foi assim que entendi o filme.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Ana Laura! Fico feliz que tenha gostado, de verdade <3 Também gostei do modo que você interpretou, bem condizente com a situação do filme. Os pássaros têm um grande papel, que na minha teoria ainda não sabia qual era, mas na sua, explicadíssimo hehe. Um abraço pra você e, se possível, nos siga lá no instagram @blogandocultura. Postamos todos os posts novos e curiosidades, vale a pena ;)

      Excluir
  13. Realmente o filme é de muita interpretação. Penso na forma como está o mundo hoje, enxergar como tudo está leva muitas pessoas a desistirem da vida. O filme mostra claramente que é necessário tapar os olhos em alguns momentos, ouvir de dentro, com o coração. Como aquela cena que ela fala com carinho com seus filhos e as vozes de alucinações desaparecem. Vivemos um momento que só mesmo o amor pode mostrar a direção certa. É necessário confiar, confiar que mesmo que difícil, ainda terá uma árvore gigante com um monte de crianças brincando. Acreditar que há possibilidades e que temos que ser um pelo outro. O filme causou-me uma certa estranheza, mas me fez refletir muito. Estamos vivendo sim uma onda de auto-extermínio é necessário cuidar e prestar atenção. Cuidar das pessoas que estão próximas de nós e que só o amor pode nos salvar e mostrar o caminho certo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso! Cada um vai ter uma ideia do que é o filme, já que há "N" possibilidades oferecidas. Que interpretação incrível essa sua, cara! Sério mesmo! O filme nos leva a refletir demais, a entender o que se passa no mundo atualmente e isso é muito bom. Valeu demais pelo comentário, de verdade :) Se puder, siga a gente lá no instagram @blogandocultura. Abraços!

      Excluir
  14. No meu ponto de vista, as pessoas que tem bom coração, não aguentam a presença misteriosa, que desperta o seu pior pesadelo, e acabam por se matar.
    Já as pessoas ruins, que tem a maldade no coração, acham que aquilo é lindo, e acabam por querer fazer com que todos vejam a criatura, e possam se maravilhar também, ou se matar. Na verdade elas não são loucas, são pessoas ruins, que acham o caos, a maldade coisas lindas, por isso conseguem ficar sem a venda, e não se matam ao ver a criatura.
    Essa é a minha teoria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ser também! Ótima teoria, sério! Como eu já disse, vão surgir várias, né? Algumas fazendo todo sentido, outras não haha. Quanto mais surgem, mais o filme vai ficando claro, real.

      Excluir
  15. A questão dos pássaros vi como a esperança, uma conexão com a nossa essência que na luta contra depressão acaba sendo a nossa bússola. Quanto mais forte as crises, mais forte 'os pássaros' gritam dentro de nós que tudo vai passar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que show! Isso mesmo! Também fazem parte da "luz no fim do túnel" da esperança, da mudança. Amei!

      Excluir
  16. Em relação aos pássaros, acho que está associado a depressão também. Quando não existe a depressão os pássaros estão tranquilos e sossegados dentro da gaiola, quando a depressão se aproxima deixa eles atordoados e agitados. A depressão faz isso com as pessoas, quando ela se aproxima te deixa mais agitado do que o normal, é uma das causas da depressão.

    Tem o sentido também de que algumas pessoas ao nosso redor começa a ficar agitada, querendo nos avisar de algo, mas não conseguimos entender.

    Estou deslumbrado com o filme, muito bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que está mais para o primeiro motivo que você disse. Faz muito sentido mesmo.

      Excluir
  17. Sobre os pássaros penso que seja referência as nossas boas lembranças... que quando estavam prestes a sentirem o "mal" as lembranças boas se movem dão o alerta para que nao aconteça... Malorie mantém os pássaros na caixa presos e quando chega ao local dos cegos ( onde estao seguros) ela liberta os pássaros. (liberta as lembranças boas estão presas na caixa)...não sei se consegui expressar minha percepçao.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conseguiu se expressar super! É uma ótima teoria também, sério! É uma forma de mostrar que há motivos para sermos felizes e eles são mais fortes que qualquer outra dor, né? Adorei!

      Excluir
  18. Quando assisti o filme tive uma visao totalemente diferente doque o filme quis mostrar. Ficou inrelevante agora. Minha duvida principal e sobre o rapaz e a moça q foge do filme... O que o filme quis nos mostrar com o ato feito por eles?
    Gostei muito da sua explicaçao feita pelo seu ponto de vista. Apesar de ser muito diferente da minha.
    Att,
    Darlene

    ResponderExcluir
  19. Uma frase do filme me chamou atenção sobre uma questão que estamos vivenciando e gerando polêmica: é quando Malorie fala "Menina brinca com gato e menino com cachorro.
    Também entendi que o uso das vendas reforça a ideia de que "o que os olhos não veem o coração não sente!"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você diz em questão do gênero, né? Gato (menina) Cachorro (menino). Acredito que percebi isso também. Quanto ao uso das vendas, pode ser interpretado desta forma também. Tudo haver...

      Excluir
  20. Eu vi o filme por duas vezes, e fiquei intrigado... hoje, no trabalho, comentei sobre isso e um amigo meu falou sobre essa teoria da depressão e agora vim pesquisar sobre isso e caí aqui, ESTOU MUITO SATISFEITO com o que li.

    Era o esclarecimento que eu queria, com certeza, de início, nunca entendemos ou sabemos lidar com a depressão (que é um caso MUITO sério), talvez por isso muita gente fique na dúvida ao assistir o filme.

    Realmente, a depressão apresenta-se a cada um de uma forma, como no caso das pessoas que acabaram suicidando-se (medo, culpa, arrependimento, tensão) e ali na casa, são pessoas que estão sendo rodeadas por esse mal, tentando de alguma forma acabar com aqueles monstros que estão trazendo medo e angústia pra todos.
    As crianças simbolizam a esperança, que nascem em meio à todo mal. Mantê-las vivas é sinal de força e fé que tudo vai dar certo! Os pássaros são natureza... vozes do Criador, e eles mostraram o caminho da salvação, alertam do perigo, o tempo todo são usados como escudo/proteção.

    A personagem principal, em meio à tanta escuridão (olhos fechados), consegue encontrar uma saída, uma forma de sobrevivência... o rio é a vida, que segue seu rumo, muitas vezes calma, outrora mais agitada e até mesmo perigosa.

    A decisão de não deixar nenhuma das crianças tirarem a venda, mostra a CORAGEM de quem está ali, vivenciando tudo, mas que sabe que no fim, tudo dá certo.

    Obrigado por terem aberto meus olhos (de forma boa, rs) com essa reflexão sobre a depressão.

    Grande abraço a todos!

    Rodrigo Mastop.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você não sabe o quanto fico feliz em ler este comentário, sério! É tudo isso que você falou, sem tirar nada. Seria muito legal se todos tivessem a mesma visão do filme e enxergassem que o propósito dele é ajudar, salvar, dar uma esperança. Mas um dia isso ainda há de acontecer ;) Se puder, nos siga lá no instagram @blogandocultura. Estamos levando todas as discussões para lá! Grande abraço!

      Excluir

Blogando Cultura - 2019 Design e desenvolvimento por: Lariz Santana