36 comentários

CAM | Terror sensação da NETFLIX não vale seu tempo. Confira!

5.12.18

cam-filme-terror-netflix-critica

Uma garota trabalha com vídeos na internet e algo “surreal”, se é que podemos chamar assim, acontece. Confira!


Nós sabemos o quanto a internet hoje tem prioridade em tudo o que façamos e como a manipulação de dados está mais que explicita em nosso cotidiano. Tanto que a redação do ENEM 2018, foi justamente sobre este tema.

No finalzinho do mês passado (novembro) a NETFLIX, uma das maiores plataformas de streaming do mundo, lançou mais um filme autoral em parceria com a Blumhouse, chamado CAM.

O filme traz a história de Alice (Madeline Brewer), uma “camgirl” que tem o nome de Lola e que trabalha com pornografia no mundo virtual. Em busca de ser uma das melhores da plataforma, ela faz de tudo, porém com limites estabelecidos para não misturar a vida profissional com a pessoal.

A história do filme começa quando Alice tem sua conta hackeada e descobre que alguém está fazendo os vídeos em seu lugar. Ela se sente desesperada e tenta de todas as formas resolver a situação, de um jeito em que ela não fique tão exposta.

Tentando resolver, Alice acaba descobrindo que uma pessoa exatamente igual a ela está fazendo as lives, passando dos limites impostos e tomando um rumo surreal.

Basicamente, essa é a história do filme, sem tirar, nem por!



Vou ser bem sincero pra você que está lendo esse post e, no final, também queria muito saber sua opinião. Vamos lá:

CAM, por mais que necessário, já que mostra como os dados na internet estão vulneráveis e são perigosos, é um filme muito ruim e o que era para ser uma lição de moral se torna um nada em meio a outros filmes péssimos já produzidos pela Netflix.

No filme é possível ir para dois lados: o primeiro, como já disse no início do post, é como através da internet uma pessoa pode usar a identidade de outra, com informações fornecidas por ela mesma, seja em sites de relacionamento, redes sociais, dentre outros.

O outro lado é que no filme há dois princípios para serem discutidos: o primeiro é a aceitação da personagem Alice, quando ela faz o que for necessário para chegar a fama ou atingir o TOP 50, como ela mesmo diz. O segundo é o confronto pessoal, já que quando o canal foi hackeado, ela não se reconheceu fazendo tais atos e sentiu nojo do seu próprio eu.

Se esse lado for o objetivo principal, beleza, show, tá explicado. Mas se a ideia for a primeira, alguém se passando por Alice, aí temos um problema, já que no final do filme nada foi descoberto, o canal foi recuperado e ela voltou a fazer as lives normalmente.

Quem estaria por trás das lives? Uma pessoa? Um robô? Quem?

cam-filme-terror-netflix-critica
Foto: Netlifx


Partindo desses questionamentos, criei algumas hipóteses que podem levar à algum caminho. Vamos lá:

Se for uma sósia de Alice por trás de tudo, super normal, já que pesquisas dizem que temos vários sósias por aí, inclusive, já vi um meu. Então, vai saber, né?

*gente, super normal por ela saber que é uma pessoa igual a ela, tá? Não que é normal uma pessoa hackear a conta de outra e se passar por ela.

Outra hipótese para caso seja uma pessoa real, mas não sósia, como CAM tem uma pegada bem Black Mirror, futurística e vibes e tals, alguém poderia estar usando um aplicativo de inverter faces, assim como temos no instagram e snapchat (claro que bem avançado, por favor, né?)

Enfim, o que você acha que aconteceu? Me conta nos comentários, pls!


cam-filme-terror-netflix-critica
Foto: Netflix
Tirando esses "poréns", o roteiro do filme é ótimo, um pouco confuso, mas se você assistir mais de DUAS vezes, assim como fiz, acredito que dá para entender boa parte, mas sem saber qual o objetivo principal.

O cenário do filme é perfeito. O ambiente, no caso, o quarto de Lola, é montado como se fosse só para ela fazer os shows online. Também traz uma sensação de cabine erótica, assim como mostrado em vários filmes do gênero. Bem criativo mesmo!

Ei, Ruan! Mas o porquê o filme não vale meu tempo?

Bom, justamente por ele não ter uma explicação concreta do que está acontecendo. De quem e o que estava por trás de tudo. É uma história legal, que tinha tudo para dar certo, mas não chega a lugar algum. O mistério não foi resolvido e objetivo principal, que estou muito em dúvida sobre qual é, também não. Ficou sem pé, nem cabeça.

De verdade, se você tiver visto e entendido, não deixe de me falar aqui nos comentários, tá?


Me siga também lá no instagram e fique por dentro de todos os posts novos que saem aqui. Só clicar AQUI ou procurar por @euruanmorais.

Com CULTURA, Ruan Morais!

Continue Lendo

36 comentários:

  1. Não gosto de terror :/

    Beijos,
    www.thalitamaia.com

    ResponderExcluir
  2. Se formos para um certo lado, conforme eu disse no post, o filme não é de terror. Você entendeu isso?

    ResponderExcluir
  3. Algumas coisas eu não entendi, pode até ser uma mulher idêntica, mas como eles produziram a casa dela? Naquela cena que ela está com mulher (já morta), ela está apresentando a casa, ela nunca tinha mostrado aqueles cômodos (????)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tá sendo bem modesto em dizer "algumas coisas", né? hahaha O filme ficou muito confuso, real mesmo. Exatamente: e a casa? Como eles estavam lá dentro, andando por todos os cômodos? É uma loucura, realmente!

      Excluir
    2. Existe um vídeo no Youtube que esclarece essa passagem do filme: Lola costuma levar seu notebook pela casa após seus shows (na cena inicial ela leva o note para o banheiro, por exemplo). Assim, pra mim indica que ela tem esse hábito para continuar faturando com seus clientes a assistindo enquanto realiza coisas ordinárias.
      Sei lá, me deu uma luz esse vídeo, se eu encontrar eu coloco o link aqui. Mas, ainda assim, concordo com seu post. É um filme que deixa muitas lacunas, talvez espaços para teorias, como não sou dessas, não fez mt sentido não.
      Não curto filmes que deixa quase todo o enredo a mercê da interpretação do expectador.

      Excluir
  4. Eu tava entendendo até chegar o final ahhhahaaha sem explicação nenhuma pro que aconteceu de verdade. Se era gênero terror, então aquilo era uma dimensão espiritual? Porque a outra estava morta. Alice também estava morta? Não consigo pensar em nada.

    ResponderExcluir
  5. Moça! Socorro! Tô igualzinho a você, não consigo pensar numa explicação pra esse filme até agora haha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá! acho muito perigoso você criar um artigo com esse titulo. voce não precisa dizer que o filme é ruim apenas porque não entendeu a mensagem dele. voce pode se informar antes para entender e depois vir escrever o texto. pessoas podem deixar de ver o filme ao ler uma crítica ruim... pense bem antes de falar mal. boa noite.

      Excluir
    2. Olá! Tudo bem? Então, vou ter que discordar de você rs. No post, eu disse que não entendi ao certo do que se tratava, mas mostrei dois pontos de vista que eu imagino ser. Sem falar que no final do texto eu explico que foi confuso, peço pra quem está lendo para assistir o filme, voltar aqui e me falar o que entendeu. A crítica não é ruim, é um ponto de vista meu. Se você tiver entendido, só deixar nos comentários seu ponto de vista sobre o filme. Blog é pessoal, opinião individual. A pessoa lê, vê meu ponto de vista, assisti o filme para tirar a conclusão dela e fim. Se for a mesma que a minha, show! Se não for, é só expor pros amiguinhos ;)

      Excluir
  6. Meu Deus pessoa que escreveu esse artigo bosta. Você não entendeu nada do filme 😂

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Como vai? Primeiro, pra quê falar assim: "esse artigo bosta"? Você pode ter entendido de uma forma e eu de outra. O artigo não é bosta, é apenas minha opinião que não condiz com a sua, ué...

      Excluir
  7. O que acontece é que um sistema muito complexo cruza todas as informações que consegue achar de você na Internet e cria uma realidade com seu rosto, casa, etc. Isso já existe para criar vídeos falsos com celebridade, porém no caso do filme foi uma tecnologia ainda mais avançada. Provavelmente o próprio site do filme cria esse sistema pra que fique com todo o dinheiro que os usuários mandam às meninas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma teoria bastante interessante, pensei até em algo nesse sentido. Mas, se tudo era parte de um simulação de software, como a Lola "real" encontrou pessoalmente a Baby, mesmo esta tendo morrido seis meses antes? Então nessa parte do encontro entre as duas estávamos vendo o mundo "virtual"?

      Excluir
    2. mais um dilema, né? Quando eu disse que tá confuso, é porque tá, gente! Não tem lógica, sério hahahahaha

      Excluir
    3. Eu tbm entendi dessa forma. Assim que o site entende que uma das meninas estão com potencial, duplica pra ficarem com todo o dinheiro.

      Excluir
    4. Mas como explicar o cenário? Digo, no vídeo supostamente "duplicado", apareceu cômodos da casa dela, sem ao menos o filme mostrar, mas que ela reconheceu. Como copiaram a casa toda?

      Excluir
  8. Pronto! Explicadíssimo e entendido! Não precisava do primeiro comentário, já que cada um entende de uma forma. Obrigado demais por ter explicado, agora faz mais sentido pra mim e pra outras pessoas que também não entenderam haha. Agora faz todo sentido! Volte sempre aqui no blog, tá? Beijos <3

    ResponderExcluir
  9. Não entendi o porquê dela no final voltar a fazer a mesma coisa, depois de ter se ferrado grandemente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não entendi, tá vendo? Se isso foi o maior problema dela durante todo o filme, ela resolveu voltar para o problema então?

      Excluir
  10. Tenha dó. Esse filme tinha tudo pra ser ótimo, mas foi uma perda de tempo. Na parte que ela vê que aquela menina que ia gravar junto com a impostora estava morta, pensei "caralho, que interessante. Oq será que tem por trás disso". Estava esperando uma pegada Black Mirror e me vem esse final sem conclusão nenhuma. Decepcionante!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tinha tudo para ser ótimo, real! Eu também pensei em algo tipo: meu Deus, arrumaram um jeito de ressuscitar os mortos? Criaram um robô idêntico a garota? Mas nada disso haha. Decepção, essa é a palavra certa!

      Excluir
  11. Observem que tudo aconteceu após o a cena do Vibratron, (após ela termaravilhosamente revira os olhinhos). Foi um orgasmo interdimensional.A ideia é que o alter ego dela chamado de "Lola" criou vida própria e passou a viver na dimensão virtual da Internet,bem ao espírito Black Mirror. O fato da modelo morta estar presente no vídeo nada mais representava que o desejo da Lola em dividir o trono com a número 1. Ela voltou a atuar no final do filme, pois gosta daquele mundo criador de alter egos doentios.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A única opção que vi de explicação foi essa: bem Black Mirror. Algo futurístico, bem avançado, que ainda não temos conhecimento haha

      Excluir
  12. 1- Quem ou o que era a cópia de Alice?

    Em sentido estrito, a cópia de Alice resulta de um vírus que manipula o algoritmo dos sites de webcam e cria uma personagem de realidade virtual. Ainda que não explique exatamente como esse vírus funciona, a sua existência fica clara no encontro entre Alice e Tinker, no quarto do hotel. Tinker – apresentando como um profissional de tecnologia da informação – parece ter identificado o padrão que leva o vírus a escolher as personagens a serem copiada. Por isso, ele era o principal amigo de todas aquelas personagens. Apesar de praticamente todas as garotas copiadas estarem mortas, por diferentes, motivos, há mais tempo, não há indicações de que Tinker seja o culpado pelas mortes. Trata-se apenas de um stalker pervertido.

    2- O que o vírus faz?

    O vírus escolhe algumas garotas, aleatoriamente, hakceia suas contas e as recria em realidade virtual. Ainda assim, a reprodução não é perfeita. Algumas pistas são dadas ao longo do filme: por exemplo, a cópia de Lola e a cópia de Babe se utilizam, em momentos diferentes, da mesma frase sobre o bombeiro. Além disso, as cópias interagem somente com outras cópias, por isso o show duplo de Lola e baby foi possível.

    Resumindo, o vírus reúne diversas tecnologias já existentes no nosso mundo e as potencializa de forma nociva ao ser humano, no melhor estilo Black Mirror, sem nenhuma intenção de tratar CAM como se fosse uma imitação. Não é.

    3- Como Babe não percebeu que estava sendo copiada?

    A verdadeira Babe estava morta, em um acidente de carro, conforme Lola descobre, ao fazer uma pesquisa mais aprofundada na internet. Como ela foi copiada, nem o público e nem as colegas preocuparam-se em saber se ela estava viva ou não, afinal, moram em cidades diferentes, trabalham de casa, na maioria das vezes, e estavam constantemente on line – não havia razão para desconfiar. Assim, o vírus agiu por anos, sem ser notado, até que fosse feita a cópia de uma modelo viva. Além disso, no submundo da internet, não necessariamente as pessoas têm contato na vida real. Talvez alguns tarados loucos, como Tinker, tivessem a informação e não a revelassem, de forma a tentar manipular o vírus de algoritmo a seu favor.

    4- Como posso ter certeza de que se trata de um cópia virutal?

    Se todos os fatores anteriores não foram convincentes, não esqueça de que a cópia não se reconhece em Alice, quando são colocadas frente a frente. Essa falta de reconhecimento decorre da inexistência de autoconsciência e das próprias limitações algoritmo, já demonstradas em algumas repetições. Sim, essas repetições ainda poderiam parecer meros plágios de garotas disputando o mesmo público.

    5- Por que Alice volta para o site depois de tudo que aconteceu?

    Porque a ambição, a necessidade de fama e busca de dinheiro supostamente fácil superaram qualquer aprendizado com a experiência traumática. Além disso, ao ter conhecimento do vírus, ela acredita estar no controle da situação.

    6- Há outras interpretações possíveis?

    Em termos estritamente de roteiro, todas as explicações foram dadas. Por outro lado, como tratei na parte sem spoilers desse texto, há varias críticas sociais tratadas de forma alegórica. Em termos gerais, a cópia pode ser entendida como um reflexo de Alice, que começa a se enxergar como uma pessoa que ultrapassa os limites que ela não quer ultrapassar, que quebra as regras que ela mesma se impôs, enfim, uma projeção da própria culpa – não por acaso, a conta é hackeada logo após Alice ultrapassar os próprios limites e realizar um show ao vivo com o Vibraton. . Além disso, poderia ser interpretada (apenas alegoricamente, uma vez que o filme, felizmente, não escolheu essa solução) como um fracionamento da sua personalidade, como forma de lidar com os distrúrbios causados pelas suas escolhas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CHOCADO EM CRISTO COM ESSA EXPLICAÇÃO, SÉRIO! Agora deu para entender o filme claramente, oficial. Obrigado demais! É um Black Mirror bem avançado mesmo haha.

      Excluir
  13. Gente alguém assistiu “o sótão”??? Tem uma pegada de suspense semelhante à esse filme. Ela está fora de si e começa a ver coisas diferente das reais. Eu acho que ela surtou e consequentemente não recordava daqueles Arquivos. Ela é meio ferinha no site então, no meu ponto de vista, ela fez tudo. Sei lá!!

    ResponderExcluir
  14. Gente alguém assistiu “o sótão”??? Tem uma pegada de suspense semelhante à esse filme. Ela está fora de si e começa a ver coisas diferente das reais. Eu acho que ela surtou e consequentemente não recordava daqueles Arquivos. Ela é meio ferinha no site então, no meu ponto de vista, ela fez tudo. Sei lá!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca assisti, acredita? Vou procurar já para ver. Tudo que ajudar a entender CAM é válido haha. Segue a gente lá no insta @blogandocultura. Temos conteúdo exclusivo do filme, além de falar sempre dos posts novos lá ;)

      Excluir
  15. O Julius (pai do Crhis) deve estar se revirando no tumulo. A Tonya virou Camgirl.

    ResponderExcluir
  16. Nossa o oq eu mais gostei sobre esse filme é dele ter um final interpretativo kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interpretativo até demais, né? haha
      .
      Siga o blog lá no instagram: @blogandocultura. Temos conteúdo novo todos (ou quase) os dias haha

      Excluir

Blogando Cultura - 2018 Design e desenvolvimento por: Lariz Santana